sábado, 1 de abril de 2017

* DE MIM, BEM SEI! * / * TEUS OLHOS, MEUS! *



DE MIM, BEM SEI!


De mim bem sei! 
Antes não soubesse!
Toda minha vida, eu mudei,
Para tudo que de ti viesse!

Ah, o prazer em sentir os seus braços,
Cintando-me!
A tua boca... na minha,
Fazendo-me diabruras...
Tuas mãos, soltas, atrevidas, 
Deslizando na fruição que de mim vinha...
Enlouquecendo-me!

E em todo esse tempo nosso,
Nada há em mim sem ti!

E são nas loucuras,
Que desejo de ti, para mim,
Que almejo,
 mas que tu, amarga realidade, asseguras...
Ainda assim,
Mesmo que eu minta para mim,
 Aqui, eu sempre te vejo:
Os teus braços cintando-me,
A tua boca, na minha,
Tuas mãos livres,
Escorregando no meu gozo...

E em todo esse tempo nosso,
Nada há em mim sem ti!
De mim bem sei:
Tudo é só VOCÊ!
Maria Barros






TEUS OLHOS, MEUS!

Em que olhos hoje pousam
os olhos que os meus olhos se encantaram!?
A visão que os meus olhos ávidos, precisam!?  
Os olhos em que os meus olhos se foram...!?

Em que olhos irresolutos hoje pousam...!?

Em que olhos aleatórios hoje passam
os olhos que meus olhos de amores couberam...!?
Maria Barros